Os alunos do 2° ano  estão aprendendo conceitos  matemáticos utilizando a arte de dobraduras. Com a introdução do origami como complemento nos momentos devidos, esperamos desenvolver com tranquilidade os conceitos geométricos com os alunos.

A “arte de dobrar papel” é o significado da palavra de origem japonesa, Origami. Essa arte foi desenvolvida no Japão em torno do século VIII , e não é uma exclusividade japonesa. É sabido que a Europa no século VIII recebeu, via Espanha, alguns conhecimentos semelhantes ao origami. Apesar de o Japão ser considerado o berço do Origami, acredita-se também que o origami pode ter surgido na China, onde a história do papel é mais antiga.
Praticado por séculos como atividade lúdica e artística, só recentemente o Origami passou a ser atração acadêmica como objeto de estudos científicos. Muitos acadêmicos matemáticos perceberam que a dobradura poderia ser usada para descrever movimentos e processos na natureza e na ciência, como o batimento das asas de um pássaro ou a deformação da capota de metal de automóveis em colisões. Os estudiosos passaram, então, a desenvolver teoremas para descrever os padrões matemáticos que viam nas dobraduras.
Na Matemática, o Origami pode ser tratado pela Topologia e pela Geometria Combinatória. Os especialistas em origami trabalham na construção de algoritmos, que são sequências de passos definidos na solução de um problema, como, por exemplo, o algoritmo da divisão. Para desenvolver esse trabalho, eles recorrem à geometria combinatória, que permite obter fórmulas computacionais para a construção, por meio de dobraduras, das formas complexas e sofisticadas de origami.